Especial Ilhas da Tailândia: Koh Pha Ngan

Saimos do sossego de Koh Samui rumo ao agito de Koh Pha Ngan, ilha da festa de lua cheia mais famosa do mundo: a Full Moon Party! Mas não, não estávamos indo na data da celebração…

Se você nos acompanha por algum tempo, já sabe que não somos lá tão festeiros assim. Depois daquela festa em Koh Phi Phi, já estávamos meio traumatizados e só queríamos paz. A questão é que precisávamos seguir em frente pelas ilhas, e para chegar em Koh Tao, nosso último destino insular na Tailândia, precisávamos passar por Koh Phanghan. Era o “meio do caminho”.

Fomos seguindo de barco sem a menor noção de nada. Num raríssimo lapso de planejamento, não sabíamos ainda se a ilha era barata ou cara, feia ou bonita, grande ou pequena. Abrimos o Lonely Planet e outros guias no computador e logo fomos descobrindo que além da Full Moon Party, também existem várias outras festas na ilha: festa da lua minguante, lua nova, meia lua, etc, etc… Ou seja, ao que tudo indicava nossa estadia seria um inferno.

Ao menos a visão do barco era convidativa…

A chegada é meio cáotica. Nunca vimos tantos touts na vida, uma galera com plaquinhas na mão de hotéis oferecendo quartos aos gritos, puxando, agarrando. Conseguimos nos desvencilhar e seguimos a pé até Leela Beach, onde segundo o guia encontraríamos bungalows baratos, longe do barulho mais ainda assim perto da praia e do centrinho.

No caminho, tudo lembra ou faz menção ao caráter festivo da ilha. Mas, ainda assim, o lugar transparecia uma surpreendente aura de tranquilidade.

Após uma subida íngreme que terminava em um descidão, chegamos na Leela Beach. Que maravilha, não é que o lugar era super agradável?

O “Leela Resort”, bem chique, estendia-se por boa parte da praia, e lá pelo meio uma série de bungalows começava. Era o “Leela Bungalows”… quanta originalidade!

Fomos perguntar o preço temendo desde já a facada, mas para nossa surpresa a recepcionista (um ladyboy gigante e mais forte que eu!) anunciou uma promoção de baixa temporada que nos garantiu uma estadia por 300 baht (~U$9!), em frente à praia! Sem dúvida era a melhor localização pelo melhor preço da viagem!

Como (quase) tudo nas ilhas da Tailândia, o lugar era bem simples também. Estávamos em frente à praia, mas não tínhamos muito luxo.

Mas era mais do que o suficiente para relaxar na bela praia que nos fazia companhia e já planejar nosso passeio pela ilha!

Leela Beach agrada os olhos, mas por ser bem rasinha acaba não favorecendo bons mergulhos. Decidimos ir andando para a praia Haad Rin, onde o agito acontece nos dias de festa.

Sim, aquele era um dia de festa – aquelas alternativas, que precedem a principal. Mas tivemos a grata surpresa de perceber que essas festas não fazem sucesso algum… Ao contrário do que acontece durante a Full Moon Party, fora da temporada Koh Phangan é a ilha mais sossegada do mundo!

Dá pra imaginar que essa mesmíssima praia já viu as coisas mais loucas de todas?

O jeito é curtir o dia passar, curtindo o por-do-sol entre vira-latas vadios e barcos à deriva, com uma praia praticamente só nossa.

Aliás, por falar em por-do-sol, Koh Phangan ainda nos daria outros ainda mais bonitos. Porque ao invés de apenas passar a noite, acabamos ficando mais dois dias além do planejado.

Ainda na primeira noite, descobrimos que Koh Phangan tinha uma feirinha noturna também! O problema é que a ilha é bem grandinha (não tanto comparada à Koh Samui, mas…) e precisáriamos de uma moto para chegar ao local.

Cedi aos meus instintos motoqueiros e acabei convencendo a Carol a alugarmos uma moto. A decisão, como todas as que tomamos de supetão, não foi das melhores. Se guiar pelas estradinhas da ilha era um desafio, mas pior ainda era encarar as subidas super íngremes, com inclinações que contrariavam as leis da física.

Pela primeira vez experimentamos a estranha sensação de ir escorregando pra frente do banco da moto (!) enquanto descíamos a ladeira, tamanho o declive. Mais tarde viríamos a saber que aquela é uma das estradas mais perigosas das ilhas tailandesas, com um alto número de acidentes e mortes entre estrangeiros. Sabe-se lá Deus como chegamos vivos na feirinha, que pra nossa tristeza era bem sem graça e estava em clima de fim de festa – justo em Koh Phangan, que ironia!

Comemos alguma coisa e tratamos de voltar. Nesse momento, Carol implorava para passar a noite em qualquer outro lugar por ali mesmo, na rua que fosse, mas subir e descer aquela estrada medonha de novo, de jeito nenhum! Mas a região era um centro comercial da ilha, bem local mesmo, sem nenhum hotel por perto. Preferimos voltar – uma hora ou outra teríamos que fazer isso mesmo, e pelo menos de noite não tínhamos trânsito.

Mais uma longa e tenebrosa meia-hora se passou. A sensação era de pilotar um cavalinho de carrossel por cima de uma montanha russa. Meio mal do estômago, mas chegamos vivos em “casa” novamente.

Recuperados do susto da noite anterior, fomos andar mais um pouco pela ilha. Apesar das características únicas de paisagem de cada uma delas, as ilhas da Tailândia são meio repetitivas entre si no que se refere à estrutura. Não que isso seja ruim: é a garantia que você sempre vai ter uma guesthouse por perto, serviços de massagem, agência de viagens de barco, e os onipresentes 7-Eleven, nosso mercadinho favorito que sempre têm lanchinhos baratos disponíveis.

E por falar em lanchinhos, acabamos encontrando um restaurante de família que servia um delicioso fried noodles. Devoramos todos os dias!

Apesar do susto do outro dia, vimos que a moto era realmente uma necessidade para se locomover na ilha. Achamos conveniente alugar uma de novo, mas dessa vez seguiríamos somente pelas praias mais próximas (e sem tantas ladeiras pelo caminho!)

Efoi assim que encontramos a simpática praia de Ao Hin Lor.

Hoteizinhos com piscina por perto (e baratos!), clima tranquilo… Cada vez mais não acreditávamos de como aquela ilha, tão mal falada pelas suas festas, era também um recanto bucólico de paz e tranquilidade!

O caminho dali em diante é perfeito para seguir a pé. Há sempre uma praia nova no caminho, separada por algumas pedras entre uma e outra.

Para nossa completa e total surpresa, Koh Phangan entrou pra nossa listinha de “Melhores Lugares para Relaxar”. Inacreditável.

Goste você ou não de festas, quando for visitar essa ilha especial não deixe de aproveitar suas outras facetas. Você vai encontrar um lugar maravilhoso, que pode até não ter as praias mais perfeitas de toda a Tailândia, mas certamente tem um dos mais fascinantes por-do-sol!

Anúncios

Uma resposta em “Especial Ilhas da Tailândia: Koh Pha Ngan

  1. Pingback: Especial Ilhas da Tailândia: Koh Tao e Koh Nang Yuan | Os Incomodados que se Mudem!

Comenta aí!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s